Random Thoughts: AKB48 2016 General Election

Tá chegando o 45th Single Senbatsu Sousenkyo (8° General Election) do AKB48 (na verdade 48G) e estava enrolando pra fazer algum post pra postar os palpites aleatórios do que eu imagino que rolará e o que eu gostaria que ocorresse (e tinha q fazer logo essa tranqueira antes de sair a preliminar – aka: amanhã a noite).

Esse trem é o evento anual em que fãs podem votar em sua 48G favorita, incluindo ai:AKB48, SKE48, NMB48, HKT48, NGT48. Num total de 271 integrantes que se inscreveram. Este ano são 20 maneiras diferentes de participar, incluindo o ticket de votação que vem com o 44°Single, Tsubasa wa Iranai (que sai dia 1 de Junho, por sinal).

Via Stage48

Com isso, as 80 mais votadas são agrupadas em:

#80-65 – Upcoming Girls

#64-49 – Future Girls

#48-33 – Next Girls: Participantes do B-side 2.

#32-17 – Undergirls: Participantes do B-side 1.

#16-1Senbatsu: Participantes do A-Side do Single e, nesse caso, a posição é um BEM revelante. É uma medição de popularidade no fim das contas.

No fim das contas, como (ainda) não sou o ser humano mais dedicado e doente pelo grupo, o que me interessa mesmo é o Senbatsu só haha. Até agora tivemos 7 Sousenkyo Senbatsus, com as seguintes vencedoras (Top 3):

2009: Atsuko Maeda (1), Oshima Yuko (2), Shinoda Mariko (3)

2010:  Oshima Yuko (1), Atsuko Maeda (2), Shinoda Mariko (3)

2011: Atsuko Maeda (1), Oshima Yuko (1), Kashiwagi Yuki (3)

2012: Oshima Yuko (1), Watanabe Mayu (2), Kashiwagi Yuki (3)

Yukirin, Yuko, Mayu

2013: Sashihara Rino (1), Oshima Yuko (2), Watanabe Mayu (3)

Yuko, Sashi, Mayu

2014: Watanabe Mayu (1), Sashihara Rino (2), Kashiwagi Yuki  (3)

Sashi, Mayu, Yukirin

2015: Sashihara Rino (1),Kashiwagi Yuki (2), Watanabe Mayu (3)

Yukirin, Sashi, Mayu

Imagino que neste ano o Top 3 não seja nada muito inesperado, provavelmente entre 5-6 integrantes: Sashihara Rino, Kashiwagi Yuki, Watanabe Mayu, Yamamoto Sayaka, Matsui Jurina e talvez… Shimazaki Haruka.

Preparei até uns dados bestas de suas posições nos SSK (utilizando todo poder do maravilhoso PAINT) e vejamos um pouco de cada uma delas.

Sashihara Rino (HKT48) pode ser a primeira integrante a ganhar dois Sousenkyos consecutivos, além de primeira Tri-Campeã. Foi a primeira não-AKB a vencer a Eleição e continua sendo absurdamente popular. Chamou os fãs para colaborarem nessa eleição prometendo até Swinsuit Shows e o caramba a quatro.

Honestamente, não gostaria de ver Sashihara como a única integrante a vencer consecutivamente. Poxa vida, nem Yuko e Maeda conseguiram isso (bom… elas intercalaram né haha), Sorry Sashi.

Kashiwagi Yuki (AKB48 Team B / HKT48) ainda não conseguiu atingir o #1 e ano passado conseguiu pela primeira vez a segunda posição. Depois de tanto tempo, será que seu tempo finalmente chegou?

Minha impressão sempre foi de Yukirin como uma integrante muito importante, mas não sei até que ponto funcionaria tão bem como Solo Center de SSK Single. Deve ser um pouco frustrante pra ela nunca chegar ao #1 e ficar atrás das duas Aces do Grupo (Yuko/Maeda e Sashi/Mayu)

Watanabe Mayu (AKB48 Team B) é a única integrante 48G remanescente que nunca deixou de integrar o “Kami-7” (7 mais votadas). Ficou extremamente desapontada com sua queda para a terceira posição no último ano e retorna com o tema “Kaerizaki” (Reflorescer  / Retornar) chamando seus fãs para retornar ao posto #1.

Mayuyu é a Idol perfeita e imagino que sua volta ao #1 seja bom pro próprio AKB48, ao contrário de uma Dinastia Sashihara. Quando Yuko graduou 2013/2014 tinha falado a Oshiri Sister que ela seria a próxima Center, o que realmente ocorreu. Agora e Mayuyu precisa retomar o posto.

Matsui Jurina (SKE48 /ex-AKB48 Team K) vem de um ano bem atribulado, deixando o Kennin no Team K após muitos anos pra se dedicar apenas ao SKE48, que passa por momentos complicados após a ‘aposentadoria’ de membros importantes e parece um grupo bem stallado, ainda mais considerando o crescimento de NMB (de Sayaka) e HKT (de Sashihara). Sua estratégia esse ano foi baseada em pedir apoio à fanbase SKE e garantir que lutará pra colocar o grupo novamente em uma rota de sucesso.

Não sei muito bem o que esperar de Jurina esse ano. Tudo depende muito do que a fanbase SKE fará, se ela captará realmente os votos das integrantes que saíram no último ano e também do quão dedicada está sua própria fanbase, por sinal é muito forte, considerando sua primeira colocação no AKB48 Request Hour, sendo #1 nos 2 Request Hours AKB deste ano (a performance de Akai Pin Heel to Professor no Tandoku RH foi espetacular).

Yamamoto Sayaka (NMB48 / AKB Team K) teve um ano de gigantesca exposição. Muito por sua performance em 365nichi no Kamihikouki (tema da novela matinal da NHK, Asa ga Kita), aparições nonstop na televisão, inclusive em programas mais tradicionais de Enka na NHK para performar a música apenas com violão e voz (muito bom, por sinal).  Seu tema esse ano é “Take Over“, veremos se sua Inner Beast garante ao menos o Top3.

Yuko Oshima perguntou “So when are you becoming a beast, Sayanee? Or have you given up on that!?” e demonstrou que tinha grande afeição a integrante que muitos apontam como sua sucessora. Em sua “Farewell Party” no Team K  (antiga casa de Yuko), cantou Mae Shika Mukanee (último Senbatsu de Yuko hehe) e parece ter acordado a citada Beast.  Não negarei que adoraria ver minha favorita como #1 nessa Eleição, iniciando uma Dinastia haha.

Palpites e Predições! YAY!

Guia Oficial do Sousenkyo 2016

1. Watanabe Mayu

2. Yamamoto Sayaka

3. Sashihara Rino

4. Kashiwagi Yuki

5. Matsui Jurina

6. Miyawaki Sakura

7. Yokoyama Yui

8. Shimazaki Haruka

Predição de Nefandagem

1. Watanabe Mayu

2. Sashihara Rino

3. Yamamoto Sayaka

4. Kashiwagi Yuki

5. Matsui Jurina

6. Shimazaki Haruka

7. Miyawaki Sakura

8. Mukaichi Mion

PS: Sei la até que ponto vale apontar Kojima Haruna (aka: Nyan Nyan Kamen como uma possibilidade, mas se ela realmente vale nesse trem… o que acho bizarro,diria q ela entra acima de Haruka)

O Que Nefandagem Adoraria Ver (+ Um POUCO de realidade)

NEFANDAGEM SENBATSU

1. Yamamoto Sayaka

Óbvio, certo?

2. Watanabe Mayu

Por mim, podemos até trocar as posições de Mayuyu e Sayanee e ficaria bem satisfeito nas duas situações.

3. Matsui Jurina

Os fãs dela e SKE foram convencidos, sei la como (talvez por não ter mais um monte de gente do SKE? haha) e Jurina consegue finalmente chegar no pódio. QUE MOMENTO!

4. Sashihara Rino

Não consigo nem imaginar o tanto de sal que isso geraria na guria, mas não consigo ver Sashi fora do Top 3, nem faz muito sentido hahaha

5. Kashiwagi Yuki

Mó mancada, eu sei, mas… deixa eu imaginar esse cenário bizarro. Se um trem desse acontece acho que ela larga mão desse trem haha.

6. Mukaichi Mion

Antes ela subir que aguentar a Sakura e é uma das integrantes mais recentes que mais agrada no carisma, só falta um pouco mais de talento mesmo. 

7. Yokoyama Yui

Respeito pela nova Manager!

8. Iriyama Anna

O mais inimaginável, mas preferia muito mais Iriyama que Paruru ou Miyawaki que, honestamente, acho mais sem graça que salada de chuchu.

PS: Nunca fui entusiasta da Shimazaki Haruka (Paruru).

Besteiras Finais

  • Kojima Haruna como Nyan Nyan Kamen é um troço muito besta e daora, mas não faço a mínima ideia do que esperar por isso.
  • Primeiro Sousenkyo Senbatsu sem Takahashi Minami. Seus 135k votos do  último ano parecem bem importantes pra definir o Kami-7.
  • Lembrando também que Miyazawa Sae (75k votos) também não participará este ano.
  • O vídeo de campanha mais legal é o da Sayaka, o mais atraente da Mayu e o mais falso da Jurina (pode até ser verdade e estou sendo chato, mas aquilo tá forçado demais da conta)
  • Sayaneee❤

Sayaka❤

Jurina

Mayuyu

(como o discurso dela é o mais legal vou colocar aqui a transcrição/tradução do Connect48 – Achei bem honesto o “#3 pra mim foi uma bosta” haha)

“I’m AKB48 Team B’s Watanabe Mayu aka Mayuyu.  For me this year, the theme of the election is ‘make a comeback’! Two years ago, thanks to all your support, I was able to be #1. Last year I got 3rd, and that was disappointing, but this year I want to challenge #1 again. I feel a strong desire to make a comeback. So for that theme, I have a cute  dress with a flower theme. The flowers are blooming [saku = bloom, kaerizaki = comeback, aka bloom again]. And since this is the 8th election, well…from the 1st election I’m the only member who was always in Kami7. There’s really nothing that makes me happier. I hold that pride in my heart, and I won’t forget all the thankful feelings I have towards my fans. I want to become one with my fans and rank in at #1. I want to give it my absolute all to the end and run through that goal line. Everyone, please cheer Watanabe Mayu on. I’m counting on you! Here goes, the comeback! Bye-bye~”

Chega né? Qualquer hora eu retorno o Top 100 de músicas japonesas, por enquanto… Tchau!

Publicado em AKB48, Ícone, J-Pop, Música Nefanda, Musas, Random, TOP | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Top 100 – Música Japonesa (Parte 3: 60-41)

A Saga Continua! E Pra quem não viu as Partes I e II, taí o link.

(Parte IParte II)

60. Speed – White Love [1997] (Link)

Esse Quarteto Feminino é da Escola de Atores de Okinawa (que revelou também uma galera bem considerável do naipe de MAX, Namie Amuro) e se tornaram um fenômeno de vendas logo com seu debute, chegando a mais de 20M num período de 3 anos.

Após esse período de sucesso o grupo anunciou sua separação em 2000, um choque para a mídia japonesa, já que elas ainda estavam em um período de grande sucesso, mas aparentemente estavam mais interessadas em projetos solo ou dar outros rumos para suas carreiras.

O Grupo vira e volta faz algumas reuniões e aparições aqui e acolá e até teve tour de Reunião em 2009 e 2010, com boa recepção de público por sinal.

PS: Não sei o quanto isso vai durar no ar, mas fica uma versão ao vivo do SPEED com as meninas do AKB48.

59. Ayaka – Minna Sora no Shita [2009] (Link)

Fico até um pouquinho chateado de colocar a Ayaka nessa Parte 3, mas ainda acredito ser o mais correto. Foi a artista solo que mais me surpreendeu positivamente na década passada, desde a primeira vez que tive contato com sua música no Kouhaku Utagassen de 2006 com Mikazuki, música que por sinal levou ela ao prêmio de Melhor Nova Artista (Artista Revelação, sei lá como traduzir Shinjin da melhor maneira hehe) do mesmo ano no Japan Record Awards. Era uma voz muito forte e simplesmente muito bonita, num cenário que o Pop Japonês parecia não me oferecer mais nada muito interessante, ainda mais que estava extremamente vidrado em Nakashima Mika.

Poderia bem ter escolhido a própria Mikazuki, mas preferi partir pra Minna Sora no Shita, musica que ela interpretou no NHK Kouhaku Utagassen antes do seu ano de hiato e logo após seu retorno, por sinal o album de seu retorno, Hajimari no Toki é MUITO BONITO, recomendo bastante a faixa título. Outra música bem legal foi tema de novela da NHK e chama WALDEMAR Nijiiro, recomendo também, Ayaka é MARAVILHOSA.

58. Iruka – Nagori Yuki [1974] (Link)

Uma das grandes vozes do FOLK japonês (sim, folk japonês, isso aqui NÃO é enka e nem pop no fim das contas) dos anos 70. Muito mais lembrada por essa belíssima canção, sempre bem resgatada pelos japoneses ao longo dos anos, com diversos artistas respeitadíssimos interpretando-a.

PS1: Sakamoto Fuyumi!

PS2: Hirahara Ayaka (Não confundir com a Ayaka anterior)

PS3: Moriyama Aiko❤ (LINDA! MUITO AMOR! haha)

57. KAN – Ai Wa Katsu [1990] (Link)

KAN SAN! Primeira coisa a lembrar é o pessoal maravilhoso que cursei o Japonês Intermediário e a gente teve que aprender essa música na marra (nem que fosse só pra ficar dublando lol). Enfim, música maravilhosa vencedora do famoso Japan Record Awards de 1991.

Foi um dos temas da recuperação do Japão no Tohoku Jishin, rolou até uma versão com um número de artistas duvidosos e bons: Horiuchi Takao e Morning Musume numa mesma gravação só pode ser bom, certo? E KAN-san é o puro carisma.

PS1: A Tal Versão do Gambarou! Nippon!

PS2: Dream Morning Musume (que nem na versão Dream chega a ser um AKB hehe)

56. GReeeeN – Kiseki [2008] (Link)

Música simplesmente ESPETACULAR, tem como um dos lances mais fantástico ser a música mais cantada em karaokês japoneses nos anos de 2008 e 2009 e mesmo 2013 continuava sendo a oitava música mais cantada (concorrendo ao lado de músicas que estavam bem mais na moda, como Flying Get e Heavy Rotation do AKB48).

Acho que vale registrar que o clipe da música é MARAVILHOSO e todo lance do rosto dos integrantes ter sido revelado também tem seu charme (eles não querem interferir em suas carreiras como dentistas haha). Aproveito pra recomendar a outra música mais famosa deles, a lindíssima AI UTA.

55. Toba Ichiro – Kyodai Bune [1982] (Link)

Rapaz… é um grande inferno na Terra achar informações do Toba Ichiro nas interwebs, mas pode acreditar, Kyodai Bune realmente é um dos grandes clássicos do Enka Anos 80. Essa mesma época foi marcada por outros grandes clássicos eternos do estilo como Kita Sakaba e Nagaragawa Enka, mas os cantores dessas músicas são temas pra mais tarde.

Ponto negativo pro Toba fica por conta de seu irmão, Yamakawa Yutaka, que é um baita de um artistinha enka sem graça sempre carregado para os principais programas pela influência de seu irmão haha.

PS: Aqui tem uma versão do Kyodai Bune com o próprio Yamakawa Yutaka. O que acho justo, considerando que 兄弟船 é a Embarcação Dos Irmãos e a música é tão boa que nem o Yutaka caga.

PS2: Tem uma versão que sei lá até quando fica no ar, mas é por conta do ÓTIMO Fukuda Kouhei, um dos artistas mais feios e talentosos da leva de Enka dos anos 2010.

PS3: Não lembrava a existência, mas tem o príncipe do Enka, Hikawa Kiyoshi, interpretando o crássico. To falando, vem comigo que é sucesso.

54. Yamaguchi Momoe – Iihi Tabidachi [1978] (Link)

Cantora, Atriz e IDOL, provavelmente uma das primeiras IDOLS de verdade no país. Começou sua Carreira em 1972 aos treze anos e meteoricamente dominou a música japonesa, com sua belíssima voz) para se retirar em 1980 e se casar com o grande bonitão da época, Tomozaku Miura. Na segunda metade de sua carreira começou a trabalhar com compositores absurdamente respeitados como Sada Masashi em Cosmos (baita música) e claro, o Absurdo Tanimura Shinji em Iihi no Tabidachi.

Todos Grupos Idols devem muito sua existência a Momoe, vejo muito das letras início de Momoe no estilo de composição de Akimoto (AKB48), mais provocativas no estilo “Eu te darei a coisa mais preciosa de uma menina” e afins.

PS1: Tem versões bem interessantes e boas disso nas interwebs. Sakamoto Fuyumi + Tanimura Shinji é muita classe.

PS2: Kashiwagi Yuki (AKB48) também brincou nisso com o Tokunaga Hideaki.

PS3: A Música ainda tem a melhor versão com o próprio Tanimura Shinji, mas não podia gastar o Slot dele com essa música, por mais quela seja maravilhosa.

PS4: AMO/SOU Moriyama Aiko, então vale tb reverenciá a moça (um dia a japonesada aceita que ela é um fenômeno)

PS5: AKB48 Eterno também com Misaki Iwasa, que por sinal gradou do AKB48 pra se concentrar em sua carreira enka – Assumo que não vi muita graça.

53. Gackt – 12Gatsu no Love Song [2001] (Link)

Taí um cara que já fez muita coisa. Foi vocal do bizarríssimo/fantástico grupo v-kei Malice Mizer (Au Revoir é um troço fantástico, diga-se), serviu de inspiração para o visual de Squall Leonheart (Live do Malice Mizer), Cloud Strife (Clipe de Vanilla), Fez Papel de Samurai em Novela da NHK (com direito a trilha com Returner) e chegou até a fazer parte do próprio Final Fantasy em Dirge of Cerberus (e trilha com Redemption).

Fora tudo isso ele ainda arrumou tempo pra ter uma carreira solo muito boa na primeira metade da última década e até escrever um filme atuar ao lado do queridíssimo Hyde. Poderia bem escolher outras músicas marcantes em sua carreira solo, especialmente Another World ou Last Song (baita de uma balada bonita, provavelmente minha música favorita do hôme), mas ainda acredito que 12Gatsu tenha um alcane maior, ainda mais que ele gravou também em chinês, coreano e inglês.

52. Nakashima Mika – Yuki no Hana [2003] (Link)

Acho extremamente difícil deixar Nakashima Mika abaixo de um Top 50, mas, não dá pra rankear baseado só no coração, certo ? O Início de carreira de Mika foi sensacional, seu debut, TRUE, garantiu o prêmio de Nova Artista via Japan Record Awards com a fantástica Stars / Will (Assumo que fiquei muito mais interessado por ter achado ela bonita pra dedeu haha)

Mas o auge chegou com um dos mais belos albums de J-Pop da última década, o seminal LOVE, com muitas influências de Jazz e Pop Modern, sendo premiado pela Associação Japonesa de Compositores o Album do Ano e bem… nesse album temos Yuki no Hana, uma das mais belas Love Songs japonesas da última década (poderia até falar que é a mais bonita se eu fosse um pouco mais enviesado). E a boa fase seguiu com o excelente MUSIC, album extremamente variado com canções excelentes como Hitori (doída), Sakurairo Maukoro, Oborozukiyo ~Inori~ (folk!!!!).

O Auge de popularidade (ou início da queda) foi sua atuação no Live Action de NANA e NANA II como a propria Nana e as músicas tema de sua banda. Glamorous Sky de NANA 1 é espetacular, composta por ninguém menos que HYDE (L’arc~en~Ciel) enquanto Hitoiro de NANA2, a melhor letra de Nana, foi composta por TAKURO (Glay).

Depois disso a carreira de Mika ficou um tanto estagnada e sua voz foi perdendo muita força ao longo dos anos, passa aquela impressão que o cigarro começou a cobrar um bom tanto. Droga, escrevi demais pra uma artista #52 HAHA.

PS: Não sou o maior entusiasta da Versão do Tokunaga Hideaki, mas acho justo linkar sua versão.

PS2: Rola um cover do já citado e maravilhoso Gackt🙂

PS3: Aqui tá a Glamorous Sky por Hyde (Vamps) – MARAVILHOSO.

PS4: Aqui tá a Hitoiro por Glay.

PS5. MORIYAMA AIKO!!!

51. Moriyama Naotaro – Sakura [2003] (Link)

O Filho de Moriyama Ryoko, uma das mais influentes compositoras de Okinawa, é um baita de um intérprete e compositor. Ficou um tanto marcado como um One-Hit Wonder, mas imagino que isso não seja um grande problema quando estamos falando dessa belíssima canção.

O Estilo cheio de falsetes em sua interpretação também sempre foi destaque e muitos que tentam cantar essa música nos karaokes e os imitadores tentam emular, alguns com um tanto de sucesso, diga-se haha. Foi com essa canção que Bruno Kubo venceu o Latino Nodojiman (Concurso de Karaoke Amador da NHK) comemorativo dos 100 Anos de Imigração Japonesa no Brasil.

PS: Aqui uma versão de Mãe e Filho Moriayama🙂

50. Nakajima Miyuki – Chijo no Hoshi [2000] (Link)

Grandíssima carreira que vem desde os anos 70, com direito a Medalha de Honra do Governo Japonês em 2009. Não vou falar que é uma das mais belas vozes da história japonesa, mas é inegável o seu talento como compositora. Até a música que ela escreveu pra terrível Girl Band Momoiro Clover Z é bem considerável e também foi letrista na fantástica Sorafune do já coitado TOKIO.

Chijo no Houshi era parte de seu Project X, documentário feito para a NHK, imagino que nem ela esperava tanto sucesso que acabou gerando uma participação marcante no Kouhaku Utagassen de 2002 e muitos artistas muito respeitados prestaram tributo ao coverizar o som. Recentemente, teve música como tema da Novela Matinal da NHK, Massan, grande sucesso comercial e nova participação no Kouhaku Utagassen.

Daria pra falar muito mais de sua longa carreira, mas… Como não tem meu lado fanboy envolvido podemos seguir adiante, correto?

PS: Versão da grande Sakamoto Fuyumi (de novo! haha)

PS: Versão DAQUELA LINDA da Moriyama Aiko (olha… vou acabar fazendo alguma menção honrosa pra moça em algum momento do top)

49. The Checkers – I Love You Sayonara [1987] (Link)

Takeuchi Toru, Fuji Fumiya e amigos se juntaram para formar um dos grupos mais relevantes do pop-rock japonês da década de 80. Podemos considerar até como um IDOL Group Masculino. Pra se ter noção do nível de popularidade, TODOS os singles do grupo chegaram ao Top 10 das paradas japonesas (e por parte na primeira posição).

O Sucesso estrondoso levou a saída de Fuji Fumiya em busca da carreira solo e o resultado disso veremos mais pra frente (nem da pra considerar isso Spoiler levando em conta que não dá pra deixar TRUE LOVE de fora dessa brincadeira, correto?)

48. Koda Kumi – Butterfly [2005] (Link)

A Nerdaiada como eu teve seu primeiro contato com a música de Koda Kumi em Final Fantasy X-2 (Real Emotion), mesmo que fosse na nefasta versão em inglês. Mas, sua carreira decolou de verdade um tanto depois disso, para ser mais preciso sua explosão no mercado musical japonês rolou em 2005, exatamente com a Butterfly, com um estilo muito mais sexy que daquela época de música de trilha sonora de RPG (bem ruinzinho, diga-se).

Seu estilo voltado pro Ero-Kawaii conquistou o Japão pra desde então ser uma referência do estilo, dominando as paradas da segunda metade da última década. Butterfly por sinal, venceu o (já citado várias vezes haha) Japan Record Awards de 2005, além de  Pop Artist/Video of The Year no Japan Gold Disc Awards e Video of The Year do MTV Japan Video Music Awards (lembra quando MTV ainda era relevante?).

PS: Ah! Ela tem uma irmã mais nova, também cantora. A música colaborativa delas é bem legal (mas a Kumi é muito superior haha).

47. Akiko Kobayashi – Koi ni Ochite [1985] (Link)

Talvez não seja correto colocar One-Hit Wonders em posições tão consideráveis, mas essa é uma das mais belas love songs japonesas OF ALL TIME e não queria deixar ela em uma posição muito acima disso. Obviamente muitos artistas tiveram carreiras mais sólidas que Akiko, mas essa é uma daquelas canções fora de série. Esse belíssimo debute garantiu o prêmio de Revelação do ano de 1985 no Japan Record Awards.

Trivia: O Staff enviou demos de Akiko para Richard Carpenter (sim, do The Carpenters) e ele produziu seu album City of Angels (1988).

PS: Tokunaga Hideaki gravou todos os covers possíveis de artistas femininas, isso não ficaria de fora, certo?)

46. Fuse Akira – Cyclamen no Kahori [1975] (Link)

Nunca fui um dos maiores entusiastas de Fuse Akira, mas não posso negar que ele é uma das vozes mais respeitadas em terras nipônicas e seria extremamente errado de minha parte não ter Cyclamen (SHIKURAMEN hehe) no Kahori pelo menos no Top 50 (Ah, sempre vale registrar que essa música venceu o Japan Record Awards). Outro grande hit de sua carreira é Kimi wa Bara yori Utsukushii “Você é mais bela que uma rosa”.

Porém, boa parte das pessoas acaba lembrando dele por ser responsável pela mais famosa versão de My Way (sim, essa mesmo) em japonês. Um dos grandes hits dos karaokes de alta niponicidade São Paulo afora.

45. Wada Akiko – Ano Kane wo Narasu no wa Anata [1972] (Link)

Grandíssima Akko, grande até em altura, já que ela tem 1,74 uma altura consideravelmente acima da média, também conhecida como AKKO ou Jotei (Imperatriz). É a grande mãezona da música japonesa atual, uma das figuras mais queridas por toda cena musical japonesa e mesmo com seus 66 anos continua a soltar a sua potentíssima vez (tá, já não tem aquela mesma potencia assustadora de bons anos atrás, mas não da pra julgar, certo?).

Além disso ela ainda vez a voz do BOWSER em um jogo da franquia Mario e dublou Marge Simpson na versão japonesa do filme dos Simpsons e obviamente vale citar que a música considerada foi indicada no Japan Record Awards hehehe.

PS: O grande ASKA (sem relação com o lamen da liberdade haha) mandou um cover maroto🙂

44. Yashiro Aki – Ame no Bojo [1980] (Link)

Provavelmente o maior nome do Enka Feminino do Final dos anos 70 e início dos anos 80. Podemos destacar Funauta (1979) e Ame no Bojo, músicas que levaram ela a ser Ootori (fechadora) do Time Vermelho do Kouhaku Utagassen (que ela sempre teve uma relação bem estranha, com vários anos consecutivos e outros bons anos fora).

Ame no Bojo é mais uma bela canção Enka vencedora de Japan Record Awards e vale registrar que Yashiro Aki é a artista Enka que mais vendeu albums, apenas atrás de figuras gigantescas como Hikawa Kiyoshi, Itsuki Hiroshi e Mori Shinichi. (N.R: Após a explosão de vendas da Sakamoto Fuyumi após Mata Kimi ni Koishiteru não sei se teve mudanças, vou procurar isso com calma depois).

PS: Marty Friedman (ex-Megadeth) gravou uma versão instrumental de Ame no Bojo / Funauta e até chegou a tocar em programas de TV com a própria Yashiro Aki numa versão Rocker do Enka, muito divertido🙂

43. Itsuwa Mayumi – Koibito Yo [1980] (Link)

The Japanese Caroline King teve relativo sucesso durante a década de 70 até lançar Koibito Yo, uma das canções mais doídas de toda música japonesa. Não chegou a receber o prêmio máximo do Japan Record Awards (Yashiro Aki venceu), mas recebeu Gold Award.

Música extremamente pessoal (sim, ela estava passando pelas situações citadas na letra, provavelmente daí vem toda a força da música), não encontrei até hoje uma versão mais impressionante que dela própria. E olha que estamos falando de uma música que Misora Hibari gravou e ficou muito bom mas não conseguiu atingir o nível de congelar até os ossos como é o caso da original.

PS: Aqui a versão da Hibari.

42. Nakamori Akina – Desire [1986] (Link)

Imagem rebelde e madura, cantando letras muito mais provocativas e mudando o seu estilo a cada lançamento. Dessa maneira, Nakamori Akina tinha a imagem oposta de sua grande RIVAL do pop, Matsuda Seiko (na verdade, Akina gostava de Seiko e deixava isso claro sempre que possível). Seu estilo musical foi amplamente copiado por adolescentes na década de 80 e nas Competições de Karaoke no Brasil no início dos anos 90 tinha todo o estilo Akina na interpretação das cantoras pop, maravilhoso ne?

Infelizmente sua carreira nunca mais foi a mesma depois de Masahiko Kondo (já citado no Top) cancelou o seu noivado o que levou a tentativa de suicidio de Akina.😦

DESIRE é uma belíssima amostra do que é o J-Pop que predomina durante a segunda metade da década de oitenta e a primeira da década de 90 e foi vencedora do Japan Record Awards de 1986 (Um belíssimo ano, certo?).

PS: Ainda acredito que nem a versão de Misora Hibari superou a original.

41. Mikawa Kenichi – Sasoriza no Onna [1972] (Link)

Muito conhecido por seu estilo afeminado e suas apresentações com muita parafernália, as vezes acaba passando batido que é um baita de um cantor. Seu pecado na última década foi a repetição exaustiva (MESMO) da música aqui colocada.

Tudo bem que é a música mais conhecida de sua carreira, extremamente marcante e tal, só que performar ela basicamente cinco anos consecutivos no Kouhaku Utagassen acaba matando, ainda que sua participação fosse um dos momentos mais esperados de todo o programa (realmente era um show a parte o duelo “carnavalístico” entre ele e Kobayashi Sachiko.

Como faz um certo tempo que não escutava esse som, consigo apreciar novamente hehe;

CONTINUA!

Publicado em AKB48, Ícone, Música Nefanda, Niponicidade, Random, TOP, Top 100, Top 20 | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Top 100 – Música Japonesa (Parte 2: 80-61)

Vamos seguir esse maravilhoso POJETO de Top 100?

A Parte 1: 100-81 está AQUI.

80. Gospellers – Hitori [2001] (Link)

Já fico feliz de começar bem esse post com um dos grupos mais interessantes do Japão da última década, o excelente The Gospellers que mandem muito bem a capella. Foram os primeiros artistas do estilo a conseguir chegar no top 3 de vendas da Oricon e foi uma longa jornada, considerando que a banda levou 16 singles ao longo de sete anos para conseguir tal façanha.

Gosto bastante das colaborações que eles aparecem fazendo nos especiais de fim de ano da vida na televisão japonesa (que obviamente não duram quase nada no youtube. meh.).

79. Imai Miki – Piece of My Wish [1991] (Link)

Começou como atriz e até ganhou o premio de melhor novata no Festival de Cinema de Yokohama em 1986, mas chegou ao estrelato de fato com a música, especialmente com a própria Piece of My Wish e a fantástica Pride [1996] (Link).

Assumo que tenho grande apreço por J-Pop da primeira metade da década de 90 e isso levou a um grande número de múscas dessa época ao longo do Top 100. Mas não coloquei nada muito duvidoso a ponto de ser questionado duramente pelos amiguinhos mais NELVOSOS.

78. Angela Aki – Tegami [2008] (Link)

Fantástica. Ainda mais quando lembramos que sua carreira só decolou quando Nobuo Uematsu teve contato com seu album independente e chamou para escrever as letras e cantar o Tema “Kiss Me Goodbye” de Final Fantasy XII (vale registrar que ela também interpretou uma das mais belas músicas de toda franquia, a maravilhosa Eyes on Me de Final Fantasy VIII).

Em 2006 se tornou a primeira artista a tocar no gigante Nippon Budokan SOLO (ela, piano e só. Sem cantoras ou banda de backup).  E 2008 foi marcado pelo lançamento de Tegami ~haikei juugo no kimi e~, música do NHK National School e durante bom tempo, tema de Minna no Uta (Songs for Everyone), da mesma NHK. A letra da música é bem bonita e foi lindamente executada no Kouhaku Utagassen de 2009.

77. Yamamoto Joji – Michinoku Hitori Tabi [1980] (Link)

Primeiro Enka dessa Parte 2. Esse já vem da primeira linha de “apadrinhados” e bom… esse aqui foi por ninguém menos que o PAIZÃO Kitajima Saburo. Pelo que reza a lenda, Yamamoto Joji foi para Tokyo buscar uma carreira musical, sem ter muito sucesso. Correu desesperadamente atrás de Kitajima Saburo e aceitou (1974) ser seu subordinado, em retorno, Sabu-chan ensinaria-o a cantar Enka.

Saburo deixou bem claro que se Michinoku Hitori Tabi não fosse sucesso, Joji deveria simplesmente desistir de seguir carreira musical. Demorou um pouco, mas os anos de 1981 e 1982 marcaram o sucesso do artista, culminando com uma grande apresentação no Kouhaku Utagassen, sendo parabenizado pelo seu Padrinho.

PS: Aproveito pra recomendar uma música de outro apadrinhado de Saburo, o grande Kitayama Takeshi, SEU GENRO HAHAHA. Sua música de estreia, Otoko no Defune, com direito a participação no Kouhaku Utagassen, foi muito grande.

76. Masahiko Kondo – Gin Gira Gin ni Sarigenaku [1981] (Link)

Cantor, Ator (da Johnny & Associates) e PILOTO. Já começamos com estranhisse? GOSTAMOS. Foi o primeiro artista a debutar diremente no topo da Oricon. Disputou a Formula-3 Japonesa, Correu as 24 Horas de Le Mans, Comentou Formula 1 na TV Japonesa e o caramba a quatro. Esse aqui dá pra dizer que realmente fez de tudo possível por lá.

Chegou até a ganhar o prêmio de Cantor do Ano pelo Japan Record Awards em 2010 (juro que queria entender como ele conseguiu isso, mas isso é o de menos haha).

ELE CORREU COM UKYO KATAYAMA E AGURI SUZUKI CARALHO.

75. Hiromi Go – 2Oku 4SenMan no Hitomi ~Exotic Japan~ [1984] (Link)

Hoje é um tanto bizarro assistir Go Hiromi performar como se fosse o mesmo jovem na década de 70 (na verdade é bem ridículo mesmo), mas não da pra desconsiderar a sua importância no cenário japonês. Considero um dos precursores de todos esses boy bands que existem hj, mesmo pq era parte do NEW BIG THREE dos anos 70 ao lado de Noguchi Goro e Saijo Hideki.

E to me estranhando, porque temos aqui também mais um artista que também foi da Johnny & Associates (esses desgramados dominam o Japão, céloco).

Não recomendo nada a versão em Japonês de Livin’ La Vida Loca que ele gravou. MENTIRA RECOMENDO SIM.

74. Terao Akira – Rubi no Yubi wa [1981] (Link)

Como cantor, Terao Akira é basicamente conhecido pelo fantástico One-Hit-Wonder nipônico RUBY NO YUBIWA, vencedor do Japan Record Awards do mesmo ano. Uma senhora de uma grande música diga-se de passagem. Recentemente (tá, foi em 2006… não é tão recente assim) rolou uma regravação dessa música com o grande Vinnie Colaiuta na batera. Monstruoso.

Respeito muito sua cara de Tiozão safado e que ele trabalhou com o Eterno Akira Kurosawa e foi Tokugawa Ieyasu num seriado de TV de 2014 (Gunshi Kanbei)

73. Tokunaga Hideaki – Kowarekake no Radio [1990] (Link)

Taíi uma artista que sobreviveu durante décadas no cenário japonês e foi o PRIMEIRO a ter pelo menos um album na primeira posição da parada da Oricon por quatro décadas (80/90/00/10).  Ainda mais reconhecido por suas belas músicas do início dos anos 90 / final dos anos 80 , como Yume wo Shinjite (ISSO ERA ENDING DO ANIME DE DRAGON QUEST), Saigo no Iiwake (que baita música) e a seminal Kowarekake no Radio.

Resgataram o hôme do limbo no meio da última década, com uma série de covers de vozes femininas (incluindo ai Miyuki Nakajima, Nakamori Akina, Akiko Kobayashi…). Porém, acabou deixando de lado suas ótimas canções autorais pra basicamente cantar apenas covers de sua série de albuns “Vocalist” (ainda que sejam legais, chega uma hora que cansa).

Vocalist: Koi ni Ochite.

PS: Se é pra ter uma versão masculina daora de Koi ni Ochite… que seja com o eterno Kawamura Ryuichi, ex-LUNA SEA.

72. Hirai Ken – Hitomi wo Tojite [2004] (Link)

Baita japonês bonito e grande talento, Hirai Ken foi um dos vocalistas mais relevantes da última década. Vencedor do Best Male Artista no primeiro MTV Video Music Awards Japan atingiu AS MASSAS (aka: agradou o público mais velhos) quando lançou uma versão de “My Grandfather’s Clock”, Ookina no furudokei, gerando sua primeira participação em Kouhaku Utagassen.

Porém, seu grande auge em popularidade se deu com Hitomi wo Tojite, o single mais vendido de 2004 e tema de novela de grande sucesso. Uma das Love Songs mais bonitas da última década.

PS: Gosto bastante também da bela versão que a BENI gravou em inglês. Ficou melhor que a versão gravada pela Debbie Gibson (Sim, aquela de Lost in Your Eyes). E Adoro a Ayaka, mas não consegui criar muito vínculo com seu cover dessa música.

71. Kinki Kids – Garasu no Shounen [1997] (Link)

Continuo na Saga de me impressionar negativamente e temos aqui mais um grupo do Johnny & Associates. Jeez. Enfim, vale registrar o recorde nada a ver que eles tem o Guinness por singles #1 das paradas consecutivos desde o debute.

Garasu no Shounen, single de estreia, foi o primeeiro de Johnny’s a atingir 1M de cópias após o já citado Masahiko Kondo. Por sinal, foi o segundo single mais vendido em 1997, ficando atrás apenas do FENOMENAL Can You Celebrate? de Namie Amuro (que veremos mais pra frente, obviamente – oohhh spoooileeers ineeesperaaados).

70. Nakanishi Yasushi – Saigo no Ame [1992]  (Link)

Não sei nem muito o que falar do Nakanishi Yasushi, mas Saigo no Ame é uma musica fenomenal. Em vez de  reverenciá a versão original mesmo, tenho que recomendar duas versões fenomenais, com duas das minhas vozes favoritas da última década (que curiosamente, veremos mais pra frente no nosso glorioso Top 100).

AQUELA MARAVILHOSA DA Koda Kumi!

AQUELE MARAVILHOSO DO Atsushi!

Aqui pelo HUEZIL, vou destacar a… inusitada versão em português do eterno Joe Hirata.

69. Anzenchitai – Kanashimini Sayonara [1985] (Link)

Uma das bandas mais bem sucedidas do Rock Japonês 80’s, influcienciou uma grande quantidade de artistas e é muito respeitada até hoje. Koji Tamaki, Frontman do Grupo, segue sendo um dos mais respeitados cantores japoneses all-time (só fiquei chateado, que ao dar uma procurada a mais sobre a banda e o Tamaki, descobri que ele era autor de violência doméstica nos anos 80, um merdão completo.).

Não é todo grupo que faz cinco dias de shows sold-out no gigante Nippon Budokan, certo?

68. Takahashi Mariko – For You [1982] (Link)

Grande voz. Uma das mais clássicas quando estamos falando de ‘ballade/love pop songs’ japonesas. Mesmo hoje, com 67 anos, continua com uma ótima performance ao vivo (fiquei bem impressionado com suas participações nos dois últimos Kouhakus, não esperava que ela pudesse cantar For You… ainda, pra ser bem sincero).

Gosto bastante da letra de For You… Pega o pré-refrão e refrão. Extremamente bonito e simples, mas é um troço tão absurdo que até dói. Porém, mais pra frente veremos que esse não é o auge do drama musical em forma de balada romantica jp 80’s.

67. Ozaki Kiyohiko – Mata au Hi Made [1971] (Link)

Um dos visuais favoritos entre os artistas dessa parte dois do Top 100, Ozaki (não confundir com Ozeki), sempre teve como uma de suas marcas o seu visú ostentação a somar com a sua belíssima e potente voz.

Grande Vencedor do Japan Record Awards de 1971, por sinal vou aproveitar que por algum milagre da natureza o vídeo está no ar e vou deixar aqui pra vocês (vamos ver quanto tempo isso dura). Faleceu em 2012 aos 69 anos de idade por câncer de fígado.

66. Nakayama Miho + WANDS – Sekaijuu no Dare Yori Kitto [1992] (Link)

Como o título dos artistas aqui em cima já está acusando, Sekaijuu no Dare Yori Kitto é um single colaborativo de Wands com Nakayama Miho (por sinal, Miho ganhou prêmio de Caloura do Ano do Japan Record Awards de 1985).

Uma das músicas japonesas mais catchys da década de 90 (e olha… tem MUITA música extremamente grudenta hein), vendeu mais de 1,8M de singles e obviamente, ccmo todo bom single em vendas, rolou aquela participação marota no Kouhaku Utagassen.

PS DAORA: Tem versão em Inglês dessa música com ERIC MARTIN e DEBBIE GIBSON.

PS: To com a música na cabeça por um mês, ctz.

PS2: Lembrei que existe uma versão mó marota e bonitinha com Takahashi Minami (AKB48) [melhor voz do AKB48, EASY GAME] e o já citado Tokunaga Hideaki

65. Akikawa Masafumi – Sen no Kaze ni Natte [2006] (Link)

Provavelmente o maior One Hit Wonder japonês da última década. Um tanto… fora do padrão, considerando que Akikawa Masafumi é um cantor tenor e a música foi é uma traduçao pro japonês do poema ‘Do Not Stand at My Grave and Weep’. Mas o sucesso do negócio foi algo surreal. Akikawa participou do Kouhaku Utagassen de 2006 e foi o grande HYPE do ano seguinte, vendendo mais de 1M, algo um tanto inimaginável pro estilo.

Uma pena que começaram a forçar a barra e colocaram o cara pra cantar diversas versões que não ficaram nada interessantes. Não esqueço de uma vez que ele cantou Champion da banda ALICE (por sinal, Alice está logo na sequencia!) e foi um dos trens mais feios que tive a oportunidade de conferir no NHK Kayou Concert (CARACA! EXISTE VIDEO DELE CANTANDO ISSO. QUE COISA HORRÍVEL E MARAVILHOSA! HAHAHA).

64. Alice – Tooku de Kiteki wo Kikinagara [1976] (Link)

RESPEITO. Alice era um belíssimo Trio formado em 1971 por ninguém menos que Tanimura Shinji e Horiuchi Takao. Tudo bem que essa parceria durou apenas 10 anos e cada um seguiu carreira solo, mas os dois continuaram grandes parceiros e até reuniram o grupo pra algumas apresentações em 2000 e 2009 (o grupo ainda é considerado ativo).

A música escolhida foi essa lindíssima balada de Horiuchi Takao , mas também poderia muito bem ter escolhido a fantástica Champion (aquela que eu falei agora pouco, assassinada por Akikawa Masafumi). Um dos grandes prazeres musicais japoneses que tive na minha vida foi assistir Horiuchi interpretando-a ao vivo, era um trem de se chorar.

63. Misia – Everything [2000]  (Link)

Misia é monstruosa e sou grande entusiasta. Não apenas pelo lado musical fantastico (sétimo debut mais vendido all time) ou Everything (quarto single mais vendido dos anos 2000 e também quarto single de cantora solo mais vendido no Japão), Misia é reconhecida por seu trabalho filantrópico, causas humanitárias e atuação em ativismo em conservação de biodiversidade.

Natural de Nagasaki, fez concertos muitos marcantes (inclusive uma aparição no Kouhaku Utagassen) em memória dos 60 anos da Bomba Atômica.

Ah! Everything é uma LINDA MÚSICA, OBV.

62. Kobukuro – Tsubomi [2007] (Link)

Belíssimo duo formato por KOBUchi Kentarou e KUROda Shunsuke. Inicialmente, pra ser bem sincero, me chamou atenção pela discrepancia de altura dos integrantes (Kuroda tem mais de 1,90), enquanto Kobuchi não passa dos 1,70 haha.

Temos aqui uma linda balada, com aquelas tipicas letras que a japonesada adora (se o título da música tem algo relacionado a flor só pode ser bom haha). A música foi vencedora do Japan Record Awards de 2007, a última antes da ERA EXILE / AKB48. Só acho uma pena que nos últimos anos não teve nenhum single tão marcante quanto esse por parte da banda e parece que a foz de Kobuchi parece não ser a mesma.

61. Maekawa Kiyoshi – Hana no Toki Ai no Toki [1987] (Link)

Conhecido por ser o primeiro vocalista do grupo Uchiyamada Hiroshi & Cool Five, Maekawa Kiyoshi também tem uma série de bons trabalhos solos, ainda mais considerando que essa sua jornada teve início com a linda Yuki Ressha, escrita por ninguém menos que o gênio Ryuichi Sakamoto, mas também foi muito marcada pela linda Himawari (contribuição do maravilhoso Fukuyama Masaharu e única música a atingir o Top 20 da Oricon, o que não é necessariamente o fim do mundo considerando que as vendas de Enka/Kayokyoku nunca foram coisa de outro mundo).

Hana no Toki Ai no Toki é uma belíssima balada (caramba, eu sou mó sucker por essas musicas low/mid tempo haha) que foi muito bem interpretada por Valter Koichi Saito para vencer o NHK Nodojiman Championship (Campeonato de Karaoke Amador), sendo o Terceiro Brasileiro a atingir tal feito (Joe Hirata [1994] e Roberto Casanova [2009] foram os outros BR HUE HUE HUE).

EXTRA: Tosqueira!

Matsudaira Ken – Matsuken SAmba II (Link)

O cara foi ator do seriado de S\murai Aburenbo Shogun (esse seriado por sinal tinha uma das OSTs  e Openings mais fantasticas ever, a japonesada fica usando ela pra meme-zar haha) E O CARA ME APARECE DO NADA COM UM VISU E MUSICA DESSAS. FANTASTICO. Com essa podemos fechar a parte 2.

CONTINUA!

Publicado em Música Nefanda, Niponicidade, TOP, Top 100, Top 20 | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 2 Comentários

Top 100 – Música Japonesa (Parte 1: 100-81)

Olá amiguinhos, hoje resolvi finalmente criar um tanto de coragem e começar o que queria faz um bom tempo: Top 100 Música Japonesa (dessa vez apelando pra “todos os tempos”). Foi um tanto complicado e pra ser bem sincero nem sei exatamente até que ponto estou feliz com a lista que montei.

Na real, a lista pode ser considerada por Tiers de 20 músicas e o que realmente doeu foi conseguir fazer o Corte pro Top 20. Muito do que temos por aqui claramente tem um bom tanto de gosto pessoal, mas tem bastante de importância histórica e sucesso de público.

A regra básica do blógue continua valendo: Uma música por artista. Apenas alguns casos especiais temos músicas colaborativas que não podia deixar de fora (e faz sentido pra mim colocar como algo separado no fim das contas). Espero que vocês apreciem e conheçam alguns sons novos, tem bastante coisa legal. Sambora!

Obs: É mó triste que muitos links acabam indo embora muito fácil, então se você chegou aqui de alguma maneira e achar links quebrados, POR FAVOR, comente preu poder arrumar. Valeu🙂

Menção: Arashi – Monster

Arashi é cocozento e tenho preguiça de encaixar na lista e tenho preguiça de linkar tb, um abraço. (São gigantescos bla bla bla, legal, whiskas sache, abs).

100. Kawaguchi Kyogo – Sakura [2004] (Link)

Ok, pra ser bem sincero, Kawaguchi Kyogo só conseguiu emplacar de verdade esse hit e não sei até que ponto pé honesto colocar esses one-hit wonders nessa lista. Mas não podia ignorar que essa é uma belíssima música. Aliás, músicas que envolvem Sakura geralmente me agradam bastante hahaha.

Top 10 de vendas, segundo a Oricon, em 2004, com mais de 400k de cópias vendidas (pra se ter uma noção, vendeu mais que o Single de Ready Steady Go do Fantástico L’arc~En~Ciel). Fez uma apresentação bem digna no Kouhaku Utagassen do mesmo ano (mesmo cantando no começo, no meio de gente extremamente duvidosa como w-inds e aiko).

99. V6 – Music for The People [1995] (Link)

Nunca fui o maior fã de boys bands japonesas (notável pela minha falta de vontade de encaixar Arashi em algum lugar desse Top), mas não dá pra negar que alguns desses grupos formados por Johnny & Associates tem coisas bem feitinhas.

Nunca tinha dado atenção pros caras, mas acabei calhando de ouvir essa música e fiquei cantarolando ela por um booom tempo. Só acho meio tosco ver que um dos integrantes desse trem hoje é apresentador de um programa matinal de variedades da NHK. O Tempo voa…

98. TMG – Oh Japan! Our Time is Now [2004] (Link)

Não sei até que ponto é honesto colocar o poderosíssimo Tak Matsumoto Group, levando em conta que a música é em inglês e uma BAITA de uma hardeira gostosa, diga-se de passagem. Porém, acharia errado deixar essa pérola de fora.

Tak Matsumoto é o Guitarrista da banda japonesa que mais vendeu albums em todos os tempos, B’z(e também possuía o título de singles vendidos, mas foi passado recentemente pelo fenomenal AKB48), endorser da Gibson e resolveu montar o seu Super Grupo pra brincar e aqui temos nada mais nada menos que o MARAVILHOSO Eric Martin do gigante Mr. Big. Tem que respeitar e aproveitar. No Baixo ainda tem Jack Blades do ótimo Night Ranger (sim, aquela banda que toca Sister Christian haha)

97. Yuna Ito – Endless Story [2005] (Link)

Aqui eu tenho que assumir uma coisa: Assisti os Live Actions de NANA. Acho o mangá bem MEH (mesmo porque nunca fui o maior chegado em Shoujo, acho os traços mó feios tbh) e nunca tive o menor interesse em ver o anime (pessoal até gosta das músicas do trem, mas eu nunca consegui criar muito amor por elas), mas o Live Action tinha Nakashima Mika como NANA.

Yuna Ito fez REIRA, vocalista da banda do ex-amorzão da Nana e essa música é muito bonita e a Yuna de fato tem uma voz bem gostosa de se ouvir (destaco também o belo timbre de guitarra). A moça ainda lançou alguns singles de sucesso depois, mas acabou dando uma sumida com o tempo.

96. Ulfuls – Banzai Suki de Yokatta [1996] (Link)

Já acho DAORA que o nome do grupo vem de uma leitura errada da palavra SOULFUL, atitude CORRETA. A Banda acabou sendo mais uma daquelas meteóricas e teve um período de estrelato relativamente curto, 1996 ABSURDO e 1997 OK.

Porém, isso foi o suficiente pra deixar essa belíssima música que todo japonês bebum que aparece pelas bandas daqui parece adorar cantar com todas as forças possíveis (realmente gostaria de entender esse fenômeno, considerando que essa nem foi o single de melhor venda do grupo haha).

95. Koyanagi Yuki – Anata no Kiss wo Kazoemashou [1999] (Link)

Voz Forte” foi a primeira coisa quando prestei atenção em Koyanagi Yuki, provavelmente meu pai pensou / falou “essa moça só sabe gritar“. Mas o Japão também ficou bem impressionado com a guria, que tomou de assalto o mercado musical japonês em 1999, no alto dos seus 17 aninhos.

Trivia Besta: Ela cantou o hino dos Estados Unidos no World Baseball Classic de 2006 (que o Japão venceu, diga-se de passagem).

Trivia Besta II: Eric Martin Coverizou essa música em inglês.

94. Tokio – Sorafune [2006] (Link)

Mais um grupo formado pela famosa Johnny & Associates, debutando em 1994 (O mais assustador é ver que já faz 20 anos desse trem. ARGH!). E bom, como um bom grupo da Johnny, os integrantes vivem participando em programas de televisão, novelas e o caramba a quatro. Uma diferença que vale a pena registrar é que eles uma pegada muito mais próxima do ROQUE do que os outros grupos Johnny (o que me agrada um tanto mais, pra ser bem sincero).

O Som escolhidos dos rapazes é um belíssimo single de 2006, o que teve maior sucesso comercial desde o seu debut, muito por ter sido trilha da novela My Boss My Hero. Uma música bem boa, diga-se.

93. Nagayama Yoko – Jongara Onna Bushi [2003] (Link)

Oba! O Primeiro Enka no top! E começou bem, Nagayama Yoko é uma ótima performer. Interessante é que ela começou a fazer sucesso já na década de 80 cantando… J-Pop! Pois é, as pessoas que gerenciavam sua carreira achavam que ela “era muito nova” pra ser uma artista de Enka.

Isso só aconteceu em 1993 e desde então tem o nome muito bem estabilizado, sendo especialmente conhecida por suas performances ao vivo com Shamisen (instrumento tradicional japonês, vale bastante a pena dar uma conferida no mínimo pra ver isso).

92. Kiroro – Nagai Aida [1998] (Link)

Depois do primeiro Enka da lista, temos a primeira menção a Okinawa! Não que essa ótima dupla toque músicas tipicas desse maravilhoso local, mas… É sempre bom exaltar essa  belíssima província.

Tiveram um período de sucesso muito bom entre 1997-2000, mas acabaram dando uma sumida. Mas tudo bem, Nagai Aida, Mirai e, Best Friend, são grandes músicas e vira e volta ainda vejo pessoas cantando-as nos Karaokes por aí haha.

 91. AI – Story [2005] (Link)

Uemura Ai Karina ou simplesmente AI marcou os anos 2000 no Japão com essa belíssima canção. Um dos singles mais vendidos da década e o sexto single na história japonesa a receber um certificação digital de 3Mi de vendas.

Vale registrar que esse single foi um grande “sleeper”. Lançado em 2005, só explodiu mesmo em vendas após uma ÓTIMA aparição no famosíssimo Kouhaku Utagassen (o especial de fim de ano da televisão japonesa, vocês verão isso sendo isso um bom número de vezes ao longo do top).

PS: Gosto MUITO de uma versão ao vivo dessa musica ao lado do MONSTRUOSO Atsushi do fenomenal Exile.

90. Masatoshi Ono – You’re The Only [1992] (Link)

Hoje, Masatoshi Ono é muito mais conhecido como SHO, vocalista da banda de metal melódico GALNERYUS (que tem na guitarra o excelente Syu, ex-Animetal e Endorser da ESP, o modelo dele é maravilhoso, por sinal) que qualquer outra coisa.

Mas seu primeiro grande hit foi MUITO tempo antes de sua entrada na banda, com um visual muito mais estiloso em 1992, ano que foi inclusive eleito o melhor novo artista (Shinjin) do ano pelo Japan Record Awards) e obviamente… Cantou essa belíssima canção no Kouhaku Utagassen.

Galneryus chegou a regravar essa música numa versão power metal e coisa e tal. Ficou divertido e tudo mais, mas falta o charme da original😛

89. Remioromen – Konayuki [2005]  (Link)

Remioromen é um bom Trio de alt-pop/rock. E por mais que não seja meu estilo favorito dentro da música japonesa, não posso negar que essa é uma ÓTIMA música.

A Dupla nunca conseguiu emplacar um single em primeiro lugar nas paradas da Oricon, mas… pelo menos eles ganharam o prêmio de melhor video pop no MTV Video Music Awards Japan. Foi bom enquanto durou, já que o grupo acabou em 2012. Sem nenhuma explicação do motivo haha.

88. Every Little Thing – Time goes by [1998] (Link)

Minha música favorita desse maravilhoso Duo (ex-Trio) Soft-Rock que debutou em 1996, JEEZ (tá, eu sei que novamente eu to parando esse trem pra ficar assustado como o tempo tá voando, mas 20 anso é tempo pra dedéu, enfim…). E Fizeram um sucesso gigantesco, o segundo album do grupo ainda é Top20 de Vendas All-Time no Japão.

Pra registrar: Ainda que Time goes by seja minha música favorita, meu solo favorito de guitarra é de fragile, baita timbre bonito (uma música MARAVILHOSA também).

Ah! O Lado ruim é que sempre achei a Mochida Kaori bem meia boquinha ao vivo, mas as músicas são tão boas que dá até pra ignorar um pouco haha.

Trivia Besta: Eric Martin coverizou essa música em inglês.

87. Koganezawa Shoji – Arigatou Kansha [2003] (Link)

Vou ser bem sincero, não conheço muita coisa da carreira do Koganezawa, mas pode ir na fé que esse é um BAITA de um New-Enka (Kayokyoku) bonito da gota.

Sempre que penso em Arigatou Kansha eu penso em competições de Karaoke. Essa é uma canção bem típica que o pessoal de categorias mais altas gostam de cantar. Vira e volta tem a galera cantando isso também nos Paulistões e Brasileiros da vida. Pelo outro lado, assumo que nunca vi muita gente cantando isso nos karaokes por aí. Eu até tentei brincar de cantar isso um certo número de vezes, mas como sempre passei bem longe de algo aceitável larguei mão.

86. Off Course – Sayonara [1979]

Off Course foi uma das bandas de folk pop/rock mais influentes da música japonesa. Debutando em 1969, lançaram 15 albums e 36 singles até a sua separação em 1989.

Sayonara é provavelmente o seu maior sucesso comercial e representa o auge do grupo, os gloriosos anos finais da década de 70 e o início dos anos 80. E considerando o estilo do som do grupo, realmente não sei o quão bem eles sobreviveriam a década de 90 no J-Pop.

PS: E pra quem gosta de encher os pacová de japonês falando aleatóriamente “Arigatou” e “Sayonara” eu até fiz uma sequência combo no Top com as duas palavras. Eu sou muito menos desagradável que saem falando por aí (INFAME eu sou mesmo)

85. Masayoshi Yamazaki – One More Time, One More Chance [1997] (Link)

Essa música realmente precisava estar na lista de Nefandagem.

Primeiro que ela é realmente MUITO bonita (recomendo a versão com legendas), mas principalmente por ser um dos grandes clássicos do YouTube por ser um dos primeiros resultados encontrados ao se procurar “musica mais triste do mundo“.

Como eu poderia deixar um trem desse de fora?

84. Frank Nagai – Omae ni [1972] (Link)

Nagai Kiyoto, aka FRANK NAGAI, é um dos artistas mais OLD SCHOOL presentes em toda lista de Nefandagem. Debutou em 1954 e ficou conhecido ao longo de sua carreira pela sua voz grave pra dedéu.

O Momento chave em sua vida foi a tentativa de suicídio em 1985, tentando se enforcar ao descobrir que sua amante estava grávida. Não teve sucesso em sua tentativa e sofreu com as sequelas até morrer em 2008. Acho uma grande pena que o Japão não lembre do homem.

83. Ikimonogakari – Kaze ga Fuite Iru [2012] (Link)

GOSTO MUITO de Ikimonogakari. Acho um grupo de Soft Rock/Pop extremamente respeitável e de muito talento. Ainda mais nessa fase de música japonesa que tudo parece se encaminhar para um número gigantesco de clones de AKB48 e Exile (ou coisas ainda piores, como algumas Boys Bands que fazem o NEFASTO w-inds parecer um grupo minimamente decente).

Kaze ga Fuite Iru é uma BELÍSSIMA canção e foi Tema da NHK para os Jogos Olímpicos de 2012. Inclusive, o grupo fechou o Kouhaku Utagassen desse mesmo ano pelo time vermelho, só achei uma grandíssima pena que depois de sua bela performance, o grande finale acabou sendo pelo time branco com uma apresentação morníssima dos veteranos do SMAP, mas tudo bem… teve momentos piores de Kouhaku cagando no fechamento.

Aproveitando, recomendo também a bela Arigatou (tema de uma Novela da NHK)

82. Kozai Kaori – Mugon Zaka [1993] (Link)

Mais Enka! E Aqui ainda temos uma Enka vencedor de Japan Record Awards (1993). Um a no estranho de JRA, por sinal, pois entre 1990-93, a Associção decidiu criar dois prêmios, um “pop” e um enka”, mas não obteve muito sucesso. Não consigo nem imaginar como seria algo do tipo hoje.

Acho uma pena que a Kozai Kaori nunca consegiu de fato se tornar uma cantora do primeiro escalão do Enka (mesmo por ser muito talentosa). Mas tudo bem, ela sempre ao menos esteve no Tier-2.

81. Kobayashi Sachiko – Yuki Tsubaki [1987] (Link)

Falando em primeiro escalão do Enka, temos Kobayashi Sachiko que durante um bom tempo figurou como uma das principais figuras do estilo. Muito por ser uma figura extremamente carismática e querida, mas também por suas performances um tanto… exageradas.

Hoje resolvi partir para o lado mais sério dela, pois muitas vezes as performances dela são tão exageradas que deixamos de prestar atenção que ela é uma belíssima interprete. O Vídeo do Link é a apresentação de fechamento do Kouhaku Utagassen de 2004, ano marcado no Japão por um terremoto que afetou fortemente o país, sendo o pior registrado desde 1995 (o famosíssimo de Kobe).

PS: Pra quem quer conhecer o lado BIZONHO, recomendo aqui,

Fim da Parte 1!

CONTINUA AQUI! PARTE 2! (80-61)

Espero conseguir fazer isso num ritmo minimamente aceitável ou ao menos não largar isso de lado. Juro que vou me esforçar para isso.

É nóis. ABS!

Publicado em Ícone, Música Nefanda, Niponicidade, TOP, Top 100 | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 2 Comentários