Top 20 – Músicas Japonesas da Década de 2000 (vol. 2)

Vamo la… fechando esse Top safado temos 4 vencedores de Japan Record Awards e 2 singles mais vendidos da década (não que isso signifique muita coisa). A lista é meio tendenciosa mesmo, obrigado.

(A Parte 1 está aqui!)

10. Kobukuro – Tsubomi (2007) (Link Safado)

Vencedora do Japan Record Awards de 2007, única música que realmente gosto dessa dupla safada. A letra é bonita e brega e a música em si é mor bem feita e tal. Não imaginava que eles fossem ganhar o Record Awards, já que eles são da Warner Music Japan… enquanto os Awards da década eram dominados pela Avex.

Destaque pro visual da dupla: o maluco é muito grande perto do outro. e Bah! achei uma bela versão, a própria do Japan Record Awards, com subs em espanhol! haha

9. Koda Kumi – Butterfly (2005) (Link Safado)

2005 sem dúvida alguma foi o ano do Breakout da Koda Kumi, época que ela usava pouquíssima roupa em seus clipes e apresentações haha. Hoje em dia ela tem um visual muito mais comportado, mas melhorou bastante suas performances ao vivo (digo… no vocal).

Vencendo o Japan Record Awards no final do ano ela se AFIRMOU como um dos grandes nomes do J-Pop na década e como um grande alvo da paixão de jovens espinhudos.

8. Fukuyama Masaharu – Sakurazaka (2000) (Link Safado)

Uma vez citei: Wannabe Fukuyama Masaharu. O bicho tem uma voz boa, canta bem, compõe bem e ainda picareteia de ator nas novelas e seriados japoneses.

Esse som é um clássico da breguice e deve fazer parte de qualquer “Wet Vaginas Collection” da música japonesa. Além de ser um som clássico de Sakeria / Samurai / Qqoutrokaraoke pra se assassinar.

7. Utada Hikaru – Final Distance (2001) (Link Safado)

O começo da década dividiu o J-Pop Feminino em 2: Utada Hikaru e Ayumi Hamasaki. Embora a segunda tenha vencido três Japan Record Awards consecutivos… Utada Hikaru garantiu o album mais vendido da década (Distance), tendo o gostinho especial do segundo album mais vendido ser exatamente o Best da Ayumi Hamasaki.

Sinceramente, não tem nem comparação: Utada Hikaru destrói a Ayumi em tudo: Voz, composição e até TETRIS (sim, ela é uma geek da hora). No lugar de Final Distance (que na boa, é a minha favorita), dava ainda pra colocar a Passion, fantástica e parte da maravilhosa OST de Kingdom Hearts II.

6. Gackt – Last Song (2003) (Link Safado)

Gackt era um LOCK no Top 10, mas não sabia se ele seria um Top 5… decidi deixar Gackt fora do Top 5, mas a música seria bem digna… Gackt pode ter trocentas musicas antes dela e trocentas músicas depois dela, mas Last Song continuará sendo a melhor música do garotão de Okinawa. Podia ser literalmente a Last Song mesmo😛

Baita duma balada bonita, safada e tem todos ingredientes pra também participar da coletanea “Wet Vaginas Collection”. O mais da hora é lembrar de uma amiga minha que ODIAVA o Gackt e ficava até brava que eu curti pra caramba o som dele (vide tambem a sua fantástica fase de Malice Mizer)

A performance do Gackt no Kouhaku de 2003 tocando Last Song tb foi fantástica, pena que atualmente ele também não tem mto mais a adicionar com seu som.

Ah! Verdade, meu sonho também era ser o Gackt (só que menos afetado, obrigado).

5. Hikawa Kiyoshi – Ikken (2006) (Link Safado)

Vencedor do Japan Record Awards de 2006, Hikawa Kiyoshi conseguiu juntar nesse som o lado mainstream com o enka mais tradicional, tudo isso sem precisar apelar pra roupas e ornamentos bizarros ou danças duvidosas. Além disso, a performance vocal nesse som se destaca por ser da fase que ele deixou de usar kobushi exageradíssimo, aplicando em doses mais corretas.

Infelizmente, desde que venceu o Japan Record Awards, Hikawa tem ido apenas pelo lado Mainstream tosco e afetado, com músicas duvidosas demais da conta: “Tokimeki no Rumba”, “Niji iro no bayon“, “Jounetsu no Mariachi”… aí mata.

4. Ayaka – Minna Sora no Shita (2009) (Link Safado)

Assumo que colocar Ayaka no Top 5 é tendencioso… mas todo mundo sabe que sou tendencioso e Ayaka é minha cantora favorita faz uns bons anos (desde a queda de produção / vocal da Nakashima Mika depois do MUSIC / NANA 2).

Lembro de assistir DE BOA o Kouhaku Utagassen de 2006, sem nenhuma grande emoção  e depois do Jornal (sim, o nefando jornal que passa no intervalo), surge a Ayaka cantando Mikazuki e arregaçando tudo, fiquei paralisado. Depois de uns dias baixei o Japan Record Awards 2006 e vi que ela tinha copado o prêmio de melhor newcomer, absurdamente justo.

Tive que escolher Minna Sora no Shita como música. Foi a última música que ela cantou ao vivo na década passada, basicamente fechando o Kouhaku Utagassen 2009 e anunciando uma pausa nas suas atividades musicais pra cuidar da sua saúde (e sei la pq depois dela colocaram o Dreams Come True que foi absurdamente broxante). Posso ver várias performances ao vivo e elas sempre arrepiam, baita música absurda e a Ayaka canta DEMAIS.

PS: A volta dela no final do ano passado foi coisa linda e o cd que ela lançou esse ano é um dos melhores de pop que ouvi em MUITO TEMPO.

3. SMAP – Sekai ni Hitotsu dake no Hana (2003) (Link Safado)

Mesmo sendo absurdamente tendencioso não dava pra deixar isso de fora do Top 3, foi o segundo single japonês mais vendido da última década e um CLÁSSICO absoluto. Creio que se o SMAP não tivesse re-estourado nas paradas com esse single, hj seria mais um desses grupelhos que ninguem lembra… se bem que a tendencia já anda essa com o crescimento do Arashi (baita grupelho vagabundo, me desculpem) e dos k-pops masculinos (nefandos, ridículos e afetados).

O mais da hora é que o primeiro verso da música é com o MITO VOCALICO Japonês Nakai (dá aflição ouvir ele cantar… MITO!). Certamente um dos sons mais legais de se cantar no karaoke, especialmente tentando fazer todas as vozes, LAMENTÁVEL.

2. Nakashima Mika – Yuki no Hana (2003) (Link Safado)

Tá, assumo que esse deve parecer o pick mais tendencioso de todo Top 20… mas PRA MIM esse realmente um dos sons mais absurdos e significativos da década passada (até mais que o primeiro colocado, se bobear…).

Nakashima Mika foi um grande fator pra começar a gostar de verdade de música japonesa (perdendo o preconceito com artistas “novos”) e inclusive foi a Nakashima Mika que me fez começar a apreciar a beleza nipônica, especialmente na sua fase TRUE / LOVE / NANA (ou seja, ela me meteu numa cilada? haha). O primeiro contato com a Nakashima Mika foi no Japan Record Awards 2002 quando ela copou o prêmio de melhor newcomer com STARS (bela música, diga-se).

Já em 2003 ela chegou dando bica na porta com o MAGNÍFICO Album LOVE. Certamente um dos melhores albuns da década passada, com vários sons absurdos, como Love Addict, Venus in the Dark, Aishiteru, Find The Way (se não me confundo, LOVE ganhou o prêmio de melhor album do ano no Japan Record Awards). Além de um visual renovado em relação a seu ano de estreia, sem o cabelo colorido e afins, uma performance absurda é a do Japan Record Awards 2003, que ela não copou, mas pra mim foi a melhor disparado haha (ainda mais considerando que a nefanda Ayumi garantiu o seu triple).

Depois do sucesso absurdo de LOVE, a Mika continuou mitando bastante com o ÓTIMO album MUSIC (bah… tem uma das musicas mais depressão ever: Hitori e uma das mais bonitas de sua carreira: Oborozukiyo ~inori~) e com suas participações nos Live Actions de NANA, mas depois de um tempo complicou… faz um tempinho que ela não grava algo realmente sensacional como esses dois discos e sua performance no ultimo dvd/br…. I’M NOT IMPRESSED.

Youtube mala tira todos os videos da Mika ao vivo… osso.

1. Southern All Stars – Tsunami (2000)

Tava numa briga eterna pra decidir se ia de Nakashima Mika ou Southern All Stars na primeira colocação e no fim das contas escutei a razão pra fechar isso aqui.

Single japonês mais vendido da década passada, mostrou todo o talento de Kuwata Keisuke, superando toda sua gigante carreira ao lado dessa eterna banda. Quem tava no Japão na época fala que era algo absurdo, QUALQUER LUGAR que você fosse iria tocar Tsunami.

Não foi uma grande surpresa quando no final do ano foram premiados com o Japan Record Awards (que infelizmente na sequencia teve 3x Ayumi Hamasaki como vencedora, uma desonra). A letra é absurdamente japonesa, é dificil explicar pq diabos uma letra é bem japonesa… não é meramente por ser em japonês😛, tem aquela coisa DE japonês na música, tipica que o povão lá adora num som: reflexiva, desgraça, perda, romantica, etc etc haha

~津波のような侘しさ~ é altamente japonês

pra quem interessar: http://letras.mus.br/southern-all-stars/828220/traducao.html

Cabô

Sobre Jespinho

Sub-Sub-Sub-Celebridade, Ranzinza, Resmungão, Puto, Apreciador/Pseudoentendedor de Cerveja, Apreciador de Futebol e Basquete Pragmático. Um dos piores guitarristas que você verá na vida... Entusiasta de Desafinadas nos Karaokes da Liberdade.
Esse post foi publicado em Niponicidade, TOP, Top 20 e marcado , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Top 20 – Músicas Japonesas da Década de 2000 (vol. 2)

  1. Pingback: Top 10 – Musas Aleatórias de Jespão | Nefandagem de Jespão / Cantinho Vadio 2.0

  2. Pingback: Top 10 – Músicas mais ouvidas (all time) no meu last.fm | Nefandagem de Jespão / Cantinho Vadio 2.0

  3. Pingback: Top 10 – Musicas de(com?) FENÔMENOS Climáticos / Meteorológicos / Whatever (?!) | Nefandagem de Jespão

  4. Pingback: Top 20 – Músicas Japonesas da Década de 2000 (vol. 1) | Nefandagem de Jespão

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s