Top 20 – Musicas Japonesas da Década de 90 (Pt. 2)

Continuando o post safado de Top Japones 90’s nessa onda de niponicidade…

quem não viu a parte 1… ta aqui

10. Horiuchi Takao – Koi Uta Tsuzuri (1990)
(Link Safado)

Horiuchi Takao é um grande Mito Nipônico, tem um bigode bem safado e é uma grande influência, tanto que até ta no Top 10 – Idolos Niponicos aleatórios.

Koi Uta Tsuzuri é um grande clássico do brega kayoukyoku, som vencedor do Japan Record Awards 1990 e tema de uma das séries toscas mais legais da história nipônica: Hagure Keiji Junjoha.

9. Utada Hikaru – First Love (1999)
(Link Safado)

Sim, Utada Hikaru é uma artista recente e que se for ver bem, teve seu AUGE na década passada, mas não dá pra deixar passar batido um som como First Love, certamente um dos mais belos Love Songs Nipônicos OF ALL TIME.

Utada canta demais, é absurdamente carismática e nerd-legal… tanto que joga Tetris monstruosamente, fora isso tudo, First Love foi coverizada por ninguém menos que o grande MITO Eric Martin (do gigante Mr. Big), uma bizarra versão em inglês COISA FINA.

8. Glay – However (1997)
(Link Safado)

Meu relacionamento com o Glay é algo estranho… acho Teru e Takuro dois MONSTROS do J-Pop/Rock, mas só 3 músicas deles realmente me pegaram mesmo: However, Winter Again e Yuuwaku. However é tão absurda que garante um belo lugar nesse nefando Top.

However não teve o reconhecimento que Winter Again teve (afinal, Copou o Japan Record Awards 1998), mas acho uma música muito mais absurd, por sinal, However teve a honra de ser coverizada pela DEBBIE GIBSON, bela MUSA ANOS 80.

O Monstro TAKURO escreveu a MARAVILHOSA música Hitoiro pra Nakashima Mika, na trilha de Nana 2, fica aqui tb a bela versão GLAY da música.

7. Sakamoto Fuyumi – Yozakura Oshichi (1994)
(Link Safado)

Eric Martin, Debbie Gibson, Sakamoto FuyumiTá, não sei se fui justo em colocar a fantástica Sakamoto Fuyumi nessa posição, tudo bem que Yozakura Oshichi é o melhor Enka 90’s disparado e ainda é uma música cantada por aí, com o pessoal exaltando a niponicidade nos Karaokes Safados e afins.

Fuyumi voltou a protagonizar o kayoukyoku com a fantástica “Mata Kimi ni Koishiteru”(que tb foi Coverizada pelo Eric Martin HAHA).

(A foto por sinal é bem aleatória e da hora, grande sorte ter achado: ERIC MARTIN, SAKAMOTO FUYUMI E DEBBIE GIBSON… é MUITA MITADA)

6. Fumiya Fujii – True Love (1993)
(Link Safado)

A partir desse lindo som do Fumiya Fujii o bicho PEGOU MESMO, foi uma crueldade absurda ter que colocar esses 6 primeiros sons em ordem. Foi triste, mas sacrifiquei o ex-Checkers do Top 5.

Lindíssima balada, que certamente faria muito astro do Hard Rock, como Jon Bon Jovi, CJ Snare, Kip Winger ficar corado ao ler a tradução da música. Farofa de primeira categoria (coverizada pela DEBBIE GIBSON)

5. Kome Kome Club – Kimi ga Iru dake de (1992)
(Link Safado)

Isso aqui é pura lindeza do J-Pop e o mico legal (ou nem tão mico assim, sou descarado as vezes hehe) desse som é que foi uma das primeiras músicas que cantei por aí durante uns 3 anos seguidos em Competições de Karaoke (tá, na verdade só no campeonato do Ibaraki Kenjin Kai) no alto dos meus 7-9 anos haha

Depois de uns trocentos anos de parada em destruir ouvidos alheios, voltei com força ao descobrir os prazeres do Porque Sim e ferrando de vez quando conheci a Sakeria Bar.

Ah Sim! Kimi ga iru Dake de venceu o Japan Record Awards 1992. bah! sou meio tendencioso colocando os vencedores do Awards HAHA (oooohhh!).

4. Chage & Aska – Say Yes (1991)
(Link Safado)

Mais uma música absurdamente maravilhosa e farofa. Chage & Aska estavam na estrada desde 1979, mas foi com Say Yes que eles atingiram o seu auge de popularidade (com todo respeito aos outros sons).

Curiosidade que não adiciona nada: Say Yes se tornou uma das músicas mais lembradas em festas de noivado e casamento (IMPRESSIONANTE NÃO? NEM DAVA PRA IMAGINAR ISSO HAHAHA)

Coisa finíssima e também coverizada pela Debbie Gibson (tá, esse eu acho que foi o melhor cover de todo o cd de covers japoneses da musa 80s… mas seria dificil estragar um som tão absurdo desses)

3. Namie Amuro – Can You Celebrate? (1997)
(Link Safado)

Ok, agora ferrou de vez, agora mesmo que to escrevendo não sei se FIZ O CERTO ao colocar a Amuro na terceira colocação, talvez ela merecesse posição ainda melhor… ou não (50%). Anyway.

Can You Celebrate? Foi mais um Headshot do HITMAKER Tetsuya Komuro, diria até que essa é a melhor composição de sua carreira (e olha que o desgramado escreveu muita coisa boa e muita coisa grudenta).

Não sei se foi toda a situação dela dando uma pausa na carreira e as apresentações COISA LINDA no Kouhaku Utagassen e no Japan Record Awards 1997 (sim, essa foi a canção vencedora do negócio, obvio)… mas esse som até hoje arrepia e a Amuro era UMA GRACINHA… hj é UMA GRAÇA. É o single de artista solo MUIÉ mais vendido na história japonesa (ok, isso se não me engano HEHEHE). MITA.

2. The Boom – Shima Uta (1992)
(Link Safado)

Ok, não sei até que ponto é justo colocar Shima Uta na segunda posição, mas quero que se dane HEHE, sou tendencioso mesmo e Miyazawa é absurdamente Mito. Além disso, tenho as lembranças do show DO HOME no Sesc durante as celebrações do Centenário da Imigração Japonesa pesando pra fazer essa lista.

E ponto importante, foi o som que sempre me deixou com vontade de tocar / ter um Sanshin e soltar o meu lado OKINAWANO (e isso foi realizado… ao menos de ter um Sanshin, já que não tenho NENHUM talento pra tocar).

(A foto acho q tá na cara que é com O HOME… tirada lá no Festival do japão 2008, que ele tocou a própria Shima Uta em versão acústica. MITO ETERNO)

1. X Japan – Tears (1993)
(Link Safado)

Não deu pra evitar, X-Japan com Tears foi a opção obvia e obrigatória. É uma das músicas japonesas mais bonitas OF ALL TIME, estando no patamar de uma Kawa no nagare no you ni de Misora Hibari, só que pro lado do Pop/Rock.

Yoshiki Hayashi é popularmente conhecido como DEUS e esse som que O HOME compôs pro pai dele é coisa de arrepiar todos os cabelos do corpo (e por mais afetada que essa frase tenha soado, faz certo sentido).

Não tem muito o que falar a respeito disso, meramente prestigiem o talento e a fodacidade de Yoshiki, que diga-se foi o campeão do Top 10 – Idolos Japoneses Aleatórios.

Sobre Jespinho

Sub-Sub-Sub-Celebridade, Ranzinza, Resmungão, Puto, Apreciador/Pseudoentendedor de Cerveja, Apreciador de Futebol e Basquete Pragmático. Um dos piores guitarristas que você verá na vida... Entusiasta de Desafinadas nos Karaokes da Liberdade.
Esse post foi publicado em Niponicidade, TOP, Top 20 e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Top 20 – Musicas Japonesas da Década de 90 (Pt. 2)

  1. Pingback: Top 20 – Musicas Japonesas da Década de 90 (Pt. 1) | Nefandagem de Jespão / Cantinho Vadio 2.0

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s