Top 100 – Música Japonesa (Parte 2: 80-61)

Vamos seguir esse maravilhoso POJETO de Top 100?

A Parte 1: 100-81 está AQUI.

80. Gospellers – Hitori [2001] (Link)

Já fico feliz de começar bem esse post com um dos grupos mais interessantes do Japão da última década, o excelente The Gospellers que mandem muito bem a capella. Foram os primeiros artistas do estilo a conseguir chegar no top 3 de vendas da Oricon e foi uma longa jornada, considerando que a banda levou 16 singles ao longo de sete anos para conseguir tal façanha.

Gosto bastante das colaborações que eles aparecem fazendo nos especiais de fim de ano da vida na televisão japonesa (que obviamente não duram quase nada no youtube. meh.).

79. Imai Miki – Piece of My Wish [1991] (Link)

Começou como atriz e até ganhou o premio de melhor novata no Festival de Cinema de Yokohama em 1986, mas chegou ao estrelato de fato com a música, especialmente com a própria Piece of My Wish e a fantástica Pride [1996] (Link).

Assumo que tenho grande apreço por J-Pop da primeira metade da década de 90 e isso levou a um grande número de múscas dessa época ao longo do Top 100. Mas não coloquei nada muito duvidoso a ponto de ser questionado duramente pelos amiguinhos mais NELVOSOS.

78. Angela Aki – Tegami [2008] (Link)

Fantástica. Ainda mais quando lembramos que sua carreira só decolou quando Nobuo Uematsu teve contato com seu album independente e chamou para escrever as letras e cantar o Tema “Kiss Me Goodbye” de Final Fantasy XII (vale registrar que ela também interpretou uma das mais belas músicas de toda franquia, a maravilhosa Eyes on Me de Final Fantasy VIII).

Em 2006 se tornou a primeira artista a tocar no gigante Nippon Budokan SOLO (ela, piano e só. Sem cantoras ou banda de backup).  E 2008 foi marcado pelo lançamento de Tegami ~haikei juugo no kimi e~, música do NHK National School e durante bom tempo, tema de Minna no Uta (Songs for Everyone), da mesma NHK. A letra da música é bem bonita e foi lindamente executada no Kouhaku Utagassen de 2009.

77. Yamamoto Joji – Michinoku Hitori Tabi [1980] (Link)

Primeiro Enka dessa Parte 2. Esse já vem da primeira linha de “apadrinhados” e bom… esse aqui foi por ninguém menos que o PAIZÃO Kitajima Saburo. Pelo que reza a lenda, Yamamoto Joji foi para Tokyo buscar uma carreira musical, sem ter muito sucesso. Correu desesperadamente atrás de Kitajima Saburo e aceitou (1974) ser seu subordinado, em retorno, Sabu-chan ensinaria-o a cantar Enka.

Saburo deixou bem claro que se Michinoku Hitori Tabi não fosse sucesso, Joji deveria simplesmente desistir de seguir carreira musical. Demorou um pouco, mas os anos de 1981 e 1982 marcaram o sucesso do artista, culminando com uma grande apresentação no Kouhaku Utagassen, sendo parabenizado pelo seu Padrinho.

PS: Aproveito pra recomendar uma música de outro apadrinhado de Saburo, o grande Kitayama Takeshi, SEU GENRO HAHAHA. Sua música de estreia, Otoko no Defune, com direito a participação no Kouhaku Utagassen, foi muito grande.

76. Masahiko Kondo – Gin Gira Gin ni Sarigenaku [1981] (Link)

Cantor, Ator (da Johnny & Associates) e PILOTO. Já começamos com estranhisse? GOSTAMOS. Foi o primeiro artista a debutar diremente no topo da Oricon. Disputou a Formula-3 Japonesa, Correu as 24 Horas de Le Mans, Comentou Formula 1 na TV Japonesa e o caramba a quatro. Esse aqui dá pra dizer que realmente fez de tudo possível por lá.

Chegou até a ganhar o prêmio de Cantor do Ano pelo Japan Record Awards em 2010 (juro que queria entender como ele conseguiu isso, mas isso é o de menos haha).

ELE CORREU COM UKYO KATAYAMA E AGURI SUZUKI CARALHO.

75. Hiromi Go – 2Oku 4SenMan no Hitomi ~Exotic Japan~ [1984] (Link)

Hoje é um tanto bizarro assistir Go Hiromi performar como se fosse o mesmo jovem na década de 70 (na verdade é bem ridículo mesmo), mas não da pra desconsiderar a sua importância no cenário japonês. Considero um dos precursores de todos esses boy bands que existem hj, mesmo pq era parte do NEW BIG THREE dos anos 70 ao lado de Noguchi Goro e Saijo Hideki.

E to me estranhando, porque temos aqui também mais um artista que também foi da Johnny & Associates (esses desgramados dominam o Japão, céloco).

Não recomendo nada a versão em Japonês de Livin’ La Vida Loca que ele gravou. MENTIRA RECOMENDO SIM.

74. Terao Akira – Rubi no Yubi wa [1981] (Link)

Como cantor, Terao Akira é basicamente conhecido pelo fantástico One-Hit-Wonder nipônico RUBY NO YUBIWA, vencedor do Japan Record Awards do mesmo ano. Uma senhora de uma grande música diga-se de passagem. Recentemente (tá, foi em 2006… não é tão recente assim) rolou uma regravação dessa música com o grande Vinnie Colaiuta na batera. Monstruoso.

Respeito muito sua cara de Tiozão safado e que ele trabalhou com o Eterno Akira Kurosawa e foi Tokugawa Ieyasu num seriado de TV de 2014 (Gunshi Kanbei)

73. Tokunaga Hideaki – Kowarekake no Radio [1990] (Link)

Taíi uma artista que sobreviveu durante décadas no cenário japonês e foi o PRIMEIRO a ter pelo menos um album na primeira posição da parada da Oricon por quatro décadas (80/90/00/10).  Ainda mais reconhecido por suas belas músicas do início dos anos 90 / final dos anos 80 , como Yume wo Shinjite (ISSO ERA ENDING DO ANIME DE DRAGON QUEST), Saigo no Iiwake (que baita música) e a seminal Kowarekake no Radio.

Resgataram o hôme do limbo no meio da última década, com uma série de covers de vozes femininas (incluindo ai Miyuki Nakajima, Nakamori Akina, Akiko Kobayashi…). Porém, acabou deixando de lado suas ótimas canções autorais pra basicamente cantar apenas covers de sua série de albuns “Vocalist” (ainda que sejam legais, chega uma hora que cansa).

Vocalist: Koi ni Ochite.

PS: Se é pra ter uma versão masculina daora de Koi ni Ochite… que seja com o eterno Kawamura Ryuichi, ex-LUNA SEA.

72. Hirai Ken – Hitomi wo Tojite [2004] (Link)

Baita japonês bonito e grande talento, Hirai Ken foi um dos vocalistas mais relevantes da última década. Vencedor do Best Male Artista no primeiro MTV Video Music Awards Japan atingiu AS MASSAS (aka: agradou o público mais velhos) quando lançou uma versão de “My Grandfather’s Clock”, Ookina no furudokei, gerando sua primeira participação em Kouhaku Utagassen.

Porém, seu grande auge em popularidade se deu com Hitomi wo Tojite, o single mais vendido de 2004 e tema de novela de grande sucesso. Uma das Love Songs mais bonitas da última década.

PS: Gosto bastante também da bela versão que a BENI gravou em inglês. Ficou melhor que a versão gravada pela Debbie Gibson (Sim, aquela de Lost in Your Eyes). E Adoro a Ayaka, mas não consegui criar muito vínculo com seu cover dessa música.

71. Kinki Kids – Garasu no Shounen [1997] (Link)

Continuo na Saga de me impressionar negativamente e temos aqui mais um grupo do Johnny & Associates. Jeez. Enfim, vale registrar o recorde nada a ver que eles tem o Guinness por singles #1 das paradas consecutivos desde o debute.

Garasu no Shounen, single de estreia, foi o primeeiro de Johnny’s a atingir 1M de cópias após o já citado Masahiko Kondo. Por sinal, foi o segundo single mais vendido em 1997, ficando atrás apenas do FENOMENAL Can You Celebrate? de Namie Amuro (que veremos mais pra frente, obviamente – oohhh spoooileeers ineeesperaaados).

70. Nakanishi Yasushi – Saigo no Ame [1992]  (Link)

Não sei nem muito o que falar do Nakanishi Yasushi, mas Saigo no Ame é uma musica fenomenal. Em vez de  reverenciá a versão original mesmo, tenho que recomendar duas versões fenomenais, com duas das minhas vozes favoritas da última década (que curiosamente, veremos mais pra frente no nosso glorioso Top 100).

AQUELA MARAVILHOSA DA Koda Kumi!

AQUELE MARAVILHOSO DO Atsushi!

Aqui pelo HUEZIL, vou destacar a… inusitada versão em português do eterno Joe Hirata.

69. Anzenchitai – Kanashimini Sayonara [1985] (Link)

Uma das bandas mais bem sucedidas do Rock Japonês 80’s, influcienciou uma grande quantidade de artistas e é muito respeitada até hoje. Koji Tamaki, Frontman do Grupo, segue sendo um dos mais respeitados cantores japoneses all-time (só fiquei chateado, que ao dar uma procurada a mais sobre a banda e o Tamaki, descobri que ele era autor de violência doméstica nos anos 80, um merdão completo.).

Não é todo grupo que faz cinco dias de shows sold-out no gigante Nippon Budokan, certo?

68. Takahashi Mariko – For You [1982] (Link)

Grande voz. Uma das mais clássicas quando estamos falando de ‘ballade/love pop songs’ japonesas. Mesmo hoje, com 67 anos, continua com uma ótima performance ao vivo (fiquei bem impressionado com suas participações nos dois últimos Kouhakus, não esperava que ela pudesse cantar For You… ainda, pra ser bem sincero).

Gosto bastante da letra de For You… Pega o pré-refrão e refrão. Extremamente bonito e simples, mas é um troço tão absurdo que até dói. Porém, mais pra frente veremos que esse não é o auge do drama musical em forma de balada romantica jp 80’s.

67. Ozaki Kiyohiko – Mata au Hi Made [1971] (Link)

Um dos visuais favoritos entre os artistas dessa parte dois do Top 100, Ozaki (não confundir com Ozeki), sempre teve como uma de suas marcas o seu visú ostentação a somar com a sua belíssima e potente voz.

Grande Vencedor do Japan Record Awards de 1971, por sinal vou aproveitar que por algum milagre da natureza o vídeo está no ar e vou deixar aqui pra vocês (vamos ver quanto tempo isso dura). Faleceu em 2012 aos 69 anos de idade por câncer de fígado.

66. Nakayama Miho + WANDS – Sekaijuu no Dare Yori Kitto [1992] (Link)

Como o título dos artistas aqui em cima já está acusando, Sekaijuu no Dare Yori Kitto é um single colaborativo de Wands com Nakayama Miho (por sinal, Miho ganhou prêmio de Caloura do Ano do Japan Record Awards de 1985).

Uma das músicas japonesas mais catchys da década de 90 (e olha… tem MUITA música extremamente grudenta hein), vendeu mais de 1,8M de singles e obviamente, ccmo todo bom single em vendas, rolou aquela participação marota no Kouhaku Utagassen.

PS DAORA: Tem versão em Inglês dessa música com ERIC MARTIN e DEBBIE GIBSON.

PS: To com a música na cabeça por um mês, ctz.

PS2: Lembrei que existe uma versão mó marota e bonitinha com Takahashi Minami (AKB48) [melhor voz do AKB48, EASY GAME] e o já citado Tokunaga Hideaki

65. Akikawa Masafumi – Sen no Kaze ni Natte [2006] (Link)

Provavelmente o maior One Hit Wonder japonês da última década. Um tanto… fora do padrão, considerando que Akikawa Masafumi é um cantor tenor e a música foi é uma traduçao pro japonês do poema ‘Do Not Stand at My Grave and Weep’. Mas o sucesso do negócio foi algo surreal. Akikawa participou do Kouhaku Utagassen de 2006 e foi o grande HYPE do ano seguinte, vendendo mais de 1M, algo um tanto inimaginável pro estilo.

Uma pena que começaram a forçar a barra e colocaram o cara pra cantar diversas versões que não ficaram nada interessantes. Não esqueço de uma vez que ele cantou Champion da banda ALICE (por sinal, Alice está logo na sequencia!) e foi um dos trens mais feios que tive a oportunidade de conferir no NHK Kayou Concert (CARACA! EXISTE VIDEO DELE CANTANDO ISSO. QUE COISA HORRÍVEL E MARAVILHOSA! HAHAHA).

64. Alice – Tooku de Kiteki wo Kikinagara [1976] (Link)

RESPEITO. Alice era um belíssimo Trio formado em 1971 por ninguém menos que Tanimura Shinji e Horiuchi Takao. Tudo bem que essa parceria durou apenas 10 anos e cada um seguiu carreira solo, mas os dois continuaram grandes parceiros e até reuniram o grupo pra algumas apresentações em 2000 e 2009 (o grupo ainda é considerado ativo).

A música escolhida foi essa lindíssima balada de Horiuchi Takao , mas também poderia muito bem ter escolhido a fantástica Champion (aquela que eu falei agora pouco, assassinada por Akikawa Masafumi). Um dos grandes prazeres musicais japoneses que tive na minha vida foi assistir Horiuchi interpretando-a ao vivo, era um trem de se chorar.

63. Misia – Everything [2000]  (Link)

Misia é monstruosa e sou grande entusiasta. Não apenas pelo lado musical fantastico (sétimo debut mais vendido all time) ou Everything (quarto single mais vendido dos anos 2000 e também quarto single de cantora solo mais vendido no Japão), Misia é reconhecida por seu trabalho filantrópico, causas humanitárias e atuação em ativismo em conservação de biodiversidade.

Natural de Nagasaki, fez concertos muitos marcantes (inclusive uma aparição no Kouhaku Utagassen) em memória dos 60 anos da Bomba Atômica.

Ah! Everything é uma LINDA MÚSICA, OBV.

62. Kobukuro – Tsubomi [2007] (Link)

Belíssimo duo formato por KOBUchi Kentarou e KUROda Shunsuke. Inicialmente, pra ser bem sincero, me chamou atenção pela discrepancia de altura dos integrantes (Kuroda tem mais de 1,90), enquanto Kobuchi não passa dos 1,70 haha.

Temos aqui uma linda balada, com aquelas tipicas letras que a japonesada adora (se o título da música tem algo relacionado a flor só pode ser bom haha). A música foi vencedora do Japan Record Awards de 2007, a última antes da ERA EXILE / AKB48. Só acho uma pena que nos últimos anos não teve nenhum single tão marcante quanto esse por parte da banda e parece que a foz de Kobuchi parece não ser a mesma.

61. Maekawa Kiyoshi – Hana no Toki Ai no Toki [1987] (Link)

Conhecido por ser o primeiro vocalista do grupo Uchiyamada Hiroshi & Cool Five, Maekawa Kiyoshi também tem uma série de bons trabalhos solos, ainda mais considerando que essa sua jornada teve início com a linda Yuki Ressha, escrita por ninguém menos que o gênio Ryuichi Sakamoto, mas também foi muito marcada pela linda Himawari (contribuição do maravilhoso Fukuyama Masaharu e única música a atingir o Top 20 da Oricon, o que não é necessariamente o fim do mundo considerando que as vendas de Enka/Kayokyoku nunca foram coisa de outro mundo).

Hana no Toki Ai no Toki é uma belíssima balada (caramba, eu sou mó sucker por essas musicas low/mid tempo haha) que foi muito bem interpretada por Valter Koichi Saito para vencer o NHK Nodojiman Championship (Campeonato de Karaoke Amador), sendo o Terceiro Brasileiro a atingir tal feito (Joe Hirata [1994] e Roberto Casanova [2009] foram os outros BR HUE HUE HUE).

EXTRA: Tosqueira!

Matsudaira Ken – Matsuken SAmba II (Link)

O cara foi ator do seriado de S\murai Aburenbo Shogun (esse seriado por sinal tinha uma das OSTs  e Openings mais fantasticas ever, a japonesada fica usando ela pra meme-zar haha) E O CARA ME APARECE DO NADA COM UM VISU E MUSICA DESSAS. FANTASTICO. Com essa podemos fechar a parte 2.

CONTINUA!

Sobre Jespinho

Sub-Sub-Sub-Celebridade, Ranzinza, Resmungão, Puto, Apreciador/Pseudoentendedor de Cerveja, Apreciador de Futebol e Basquete Pragmático. Um dos piores guitarristas que você verá na vida... Entusiasta de Desafinadas nos Karaokes da Liberdade.
Esse post foi publicado em Música Nefanda, Niponicidade, TOP, Top 100, Top 20 e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Top 100 – Música Japonesa (Parte 2: 80-61)

  1. Pingback: Top 100 – Música Japonesa (Parte 1: 100-81) | Nefandagem de Jespão

  2. Pingback: Top 100 – Música Japonesa (Parte 3: 60-41) | Nefandagem de Jespão

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s